Relactação e translactação: o que é? Como fazer em casa?

Rate this post

Você já ouviu falar em relactação e translação? Para saber mais, acompanhe o artigo.

Benefícios do leite materno

Como todos sabemos, o leite materno é um alimento essencial para bebês até 6 meses de idade.

Nos primeiros dias de amamentação, uma mãe libera colostro. O colostro é um leite grosso que muitas vezes tem uma cor amarela. Às vezes é referido como “ouro líquido” por causa da cor e seu valor para o seu bebê. Mamãe faz apenas uma pequena quantidade de colostro, então é importante que o bebê beba tudo o que puder.

Quando o seu bebê toma os anticorpos contidos no colostro, é como dar-lhe a sua primeira imunização! O colostro também é rico em proteínas, o que é perfeito para os recém-nascidos e o ajuda a passar as fezes obscuras e pegajosas (chamado mecônio) que ele teve no primeiro dia ou dois. Nutra seu bebê com freqüência nos primeiros dias para que ele consiga muito colostro, e para que você construa um forte suprimento de leite.

Nas duas primeiras semanas, a proteína no leite materno é muito mais fácil de digerir do que a proteína industrializada. Isso faz com que seu bebê tenha menos probabilidades de ter problemas digestivos, como gases, erupções cutâneas e cólicas.

De 4 a 6 semanas, os bebês amamentados são mais saudáveis ​​e ficam doentes com menos frequência. Os bebês alimentados com fórmulas são muito mais propensos do que os bebês amamentados a estar doentes durante os primeiros 2 meses de vida.

Já de 3 a 6 meses, os bebês amamentados têm um risco 36% menor de Síndrome da Morte Súbita Infantil, que os atingem os 2-4 meses de idade.

As imunidades do seu bebê são mais baixas entre 2 a 6 meses de idade. Ao amamentar, você está fornecendo-lhe a melhor proteção durante este momento vulnerável.

Quando você nutre por 6 meses, seu bebê terá menos infecções de ouvido e será muito menos provável que tenha problemas com diarreia e infecções respiratórias. Aliás, os bebês amamentados durante pelo menos 6 meses têm menor risco de contrair câncer infantil.

Problemas na amamentação

Mas infelizmente muitas mães não conseguem fazer isso pelos seguintes motivos:

  • ausência de leite: o estresse limita a produção de ocitocina, que é hormônio da amamentação.
  • colostro: o leite demora para produção, em algumas mulheres, logo, é preciso suplementar a alimentação do bebê.
  • cirurgia: pessoas que fizeram procedimentos na mama podem ter problemas para amamentar.
  • bebê tem dificuldade para mamar.
  • bebê prematuro.
  • falta de estímulo no bebê.

 

E como evitar o desmame precoce? Isso pode ser feito por meio da translactação ou da relactação.

Relactação

Com a relactação o bebê ajuda a estimular a mama da mãe, para que ela volte a produzir leite. Isso é feito com o uso de sonda colocada no bico do seio da mãe.

relactação

Translactação

É uma forma de o bebê não deixar de mamar no seio, mesmo quando há baixa produção do leite. É preciso, então, fazer uma espécie de ordenha materna.

Realeitamento

Muitas mulheres não produzem muito leite, por isso há o uso de sonda. O bebe não deixa de usar o peito da mãe.

Lactação induzida

É quando há o estímulo de produção de leite por alguém que não estava grávida, como em casos de adoção.

 

Translactação: como fazer

A translactação é geralmente instruída por médicos. Trata-se de oferecer leite artificial ou materno por meio de sonda presa no bico do peito.

Quanto tempo demora a relactação?

A relactação vai depender de vários fatores e estímulos, podendo demorar de 15 a 45 dias para normalizar. Mas tudo vai depender da idade da criança, da forma de desmame e de quanto tempo a criança não mamava no peito.

Relactação caseira

Embora seja imprescindível orientação e acompanhamento de profissionais, a relactação pode ser feita em casa. Nesse caso, a mãe faz o leite em casa e dá ao bebê sempre que preciso. Você pode comprar um kit de relactação caseira, onde há uma sonda médica fininha, um recipiente para o leite e micropore para fixar a ponta da sonda no bico dos seios.

Relactação com sonda da certo?

O processo de amamentação deve trazer amor, calma, motivação e apoio. Para que isso aconteça a mamãe deve ser bem orientada. Aí aumentam as chances de o bebê voltar a mamar no peito!

Mas atenção: outros casos de crianças que não querem o seio de mulheres que apresentem alguma deficiência mamária por conta de cirurgias devem ser observados isoladamente por especialistas.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: