Lúpus: Causas, Sintomas e Tratamentos

Rate this post

Já ouvir falar em lúpus? Lúpus é uma doença que acomete milhares de pessoas e que pode trazer grandes transtornos à saúde. Saiba mais.

O que é lúpus?

 

O lúpus é uma doença autoimune crônica em que o sistema imunológico do corpo se torna hiperativo e ataca o tecido normal e saudável.

A função normal do sistema imunológico é proteger e combater vírus, bactérias e germes produzindo proteínas chamadas anticorpos que são produzidas por glóbulos brancos (linfócitos B).

Com a doença, o sistema imunológico destrói e não pode distinguir entre invasores e o tecido saudável. Logo, os anticorpos são produzidos contra células e tecidos saudáveis ​​do corpo, causando inflamação, dor e danos em várias partes do corpo.

Estes anticorpos, chamados de auto anticorpos, contribuem para a inflamação de várias partes do corpo e podem causar danos aos órgãos e tecidos. O tipo mais comum de um anticorpo que se desenvolve em pessoas com essa doença é chamado de anticorpo antinuclear.

Os auto anticorpos circulam no sangue e poderão até mesmo atacar o DNA, que fica no núcleo da célula.

É por isso que alguns órgãos podem ser atacados durante a manifestação da doença, enquanto outros não.

Tal doença não contagiosa.

No entanto, é uma doença de surtos e remissões, ou seja, vai e volta.

 

Outros fatos sobre a doença

  • É uma doença autoimune, causada por problemas no sistema imunológico. Pode ser leve ou fatal.
  • Não é contagioso.
  • O lúpus ‘tradicional’ é conhecido como lúpus eritematoso sistêmico ou LES.
  • Outros tipos de lúpus incluem discoides (cutâneos), induzidos por drogas, por exemplo.
  • De acordo com a Fundação Lúpus da América, mais de 5 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de alguma forma de lúpus.
  • Mais de 90% dos pacientes com lúpus são mulheres.
  • É mais comum entre as idades de 15 a 45 anos.
  • A maioria dos médicos acredita que a doença resulta de estímulos genéticos e ambientais.
  • Os fatores de risco incluem exposição à luz solar, certos medicamentos prescritos, infecção pelo vírus Epstein-Barr e exposição a determinados produtos químicos.
  • Os fatores ambientais incluem estresse extremo, exposição à luz ultravioleta, tabagismo, alguns medicamentos e antibióticos, infecções e o vírus Epstein-Barr (em crianças).
  • Embora não haja cura, lúpus e seus sintomas podem ser controlados com medicação.
  • Os tratamentos para lúpus incluem corticosteroides, drogas imunossupressoras e mudanças de estilo de vida.

 

Tipos de lúpus

São tipos de lúpus:

  •  Lúpus discoide: essa versão da doença que é limitada à pele. É caracterizada por uma erupção cutânea que aparece no rosto, no pescoço e no couro cabeludo, e não afeta os órgãos internos. Menos de 10% dos pacientes com lúpus discoide progridem na forma sistêmica da doença, mas não há como prever ou prevenir o caminho da doença.
  • Lúpus eritematoso sistêmico (LES): é mais severo do que o lúpus discoidal porque pode afetar qualquer órgão ou sistema de órgãos do corpo. Algumas pessoas podem apresentar inflamação ou outros problemas com apenas pele e articulações, enquanto outros pacientes verão articulações, pulmões, rins, sangue e / ou o coração afetado. Este tipo de lúpus também é freqüentemente caracterizado por períodos de calmaria e, após, de remissão.

 

  • Lúpus induzido por drogas: é causado por uma reação com certos medicamentos prescritos e causa sintomas muito semelhantes ao LES. As drogas mais comumente associadas a esta forma de lúpus são uma medicação hipertensiva chamada hidralazina ou  medicação de arritmia cardíaca chamada procainamida. Porém, existem cerca de 400 outras drogas que também podem causar a condição. O lúpus induzido por drogas é conhecido por diminuir após o paciente parar de tomar a medicação que desencadeou o problema.
  • Lúpus neonatal: é raro e  ocorre quando a mãe passa auto anticorpos para o feto. O recém nascido pode ter erupções cutâneas e outras complicações no coração e no sangue. Geralmente, ocorre uma erupção cutânea, mas eventualmente desaparece nos primeiros seis meses da vida da criança.

 

Sintomas de lúpus

Pessoas com lúpus podem ter:

  • Erupção em forma de borboleta

  • Fadiga
  • Dor ou inchaço nas articulações
  • Erupções cutâneas
  • Febre
  • Dores de cabeça
  • Confusão
  • Dor no peito após a respiração profunda
  • Perda de cabelo incomum
  • Dedos roxos, pálidos ou frios
  • Inchaço (edema) em uma das pernas ou ao redor dos olhos
  • Glândulas inchadas.
  • Erupção vermelha na face
  • Fotossensibilidade
  • Úlceras orais
  • Artrite
  • Pericardite
  • Problemas renais
  • Convulsões
  • Psicose
  • Anormalidades nas células do sangue
  • Vasculite
  • Anemia
  • Leucopenia
  • Trombocitopenia
  • Miocardite
  • Endocardite.

 

Outros sintomas são:

  • Rins: a inflamação dos rins (nefrite) pode comprometer sua capacidade de se livrar de produtos de resíduos e outras toxinas do corpo;
  • Pulmões: algumas pessoas com lúpus desenvolvem pleurite, uma inflamação do revestimento da cavidade torácica que causa dor no peito, quando se respira. Pacientes com lúpus também podem sofrer de pneumonia.
  • Sistema nervoso central: em alguns pacientes, o lúpus afeta o cérebro ou o sistema nervoso central. Isso pode causar dores de cabeça, tonturas, depressão, distúrbios de memória, problemas de visão, convulsões, acidentes vasculares cerebrais ou alterações no comportamento.
  • Vasos sanguíneos: vasos sanguíneos podem tornar-se inflamados (vasculite), afetando a circulação do sangue;
  • Sangue: pessoas com lúpus podem desenvolver anemia, leucopenia (uma diminuição do número de glóbulos brancos) ou trombocitopenia (diminuição do número de plaquetas no sangue, que auxiliam na coagulação)
  • Coração: em algumas pessoas com lúpus, a inflamação pode ocorrer no próprio coração (miocardite e endocardite) ou a membrana que a rodeia (pericardite), causando dor no peito ou outros sintomas. A endocardite pode danificar as válvulas cardíacas, fazendo com que a superfície da válvula engrossa e desenvolva crescimentos que possam provocar sopros cardíacos.

 

Risco de outras doenças

  • Infecção: as pessoas com lúpus são mais vulneráveis ​​à infecção porque tanto a doença como seus tratamentos enfraquecem o sistema imunológico. Infecções que mais comumente afetam pessoas com lúpus incluem infecções do trato urinário, infecções respiratórias, infecções fúngicas, salmonelas, herpes etc. 
  • Morte do tecido ósseo (necrose avascular): isso ocorre quando o suprimento de sangue para os ossos diminui, muitas vezes levando a pequenas quebras nos ossos e, eventualmente, ao colapso dos ossos. A articulação do quadril é mais comumente afetada.
  • Complicações de gravidez: mulheres com lúpus apresentam risco aumentado de aborto espontâneo. O lúpus aumenta o risco de hipertensão arterial durante a gravidez (pré-eclâmpsia) e parto prematuro. Para reduzir o risco dessas complicações, os médicos geralmente recomendam atrasar a gravidez até que a doença esteja sob controle há pelo menos seis meses.

 

Tratamento

 

Você pode precisar de médicos especialistas para tratar os muitos sintomas do lúpus, como reumatologistas, nefrologistas, hematologistas, endocrinologistas e outros.
Uma vez que o lúpus tenha sido diagnosticado, o médico reumatologista desenvolverá um plano de tratamento com base na idade, sexo, saúde, sintomas e estilo de vida do paciente.

Os planos de tratamento são adaptados às necessidades do indivíduo e podem mudar ao longo do tempo.

 

 

O tratamento compreende evitar a dor, os danos aos órgãos do corpo, a fim de fazer com que o paciente tenha mais qualidade de vida.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: